quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Turistando por Curitiba...

Quando moramos em uma cidade, normalmente não aproveitamos todo o potencial turístico dela, não é? Por isso no último domingo resolvi dar uma de turista pela minha própria cidade. Abaixo segue um roteiro básico para quem vai passar um domingo em Curitiba e que conhecer alguns dos ícones mais interessantes da cidade.
Para começar o dia o legal é tomar café em uma confeitaria tradicional, como por exemplo a Confeitaria das Famílias, que fica na tradicional Rua 15 de Novembro, no número 374. É nessa rua fechada para os carros que as crianças do coral HSBC cantam nas noites de dezembro. Veja como a Veja Curitiba descreve o local: "Inaugurada há 65 anos, a confeitaria tem clientes fiéis. Eles chegam atrás de doces tradicionais como quindim, mil-folhas, bomba de creme e chocolate, dois amores, folhado de coco e de nozes, todos vendidos por R$ 4,00. A torta imperial, que reúne massa folhada, doce de leite e pão de ló, custa R$ 45,00 o quilo. No andar superior funciona o salão de chá. Ali, o serviço completo inclui torradas, geleias, bolos e petits-fours (R$ 20,00, para duas pessoas)."
Dali dá para seguir a pé para a divertidíssima e tentado Feira do Largo, um local onde você pode encontrar o melhor do artesanato local e garantir algumas lembrancinhas para os amigos. Procure pelas lindas flores de madeira que são muito características, prove um dos diversos ponchos ou cachecois. Para que gosta de coisas ecológicas, não deixe de ver a moda feita com tecídos naturais.
Se ficar com fome depois de tanto andar, prove os suspiros gigantes vendidos na feira, se arrisque no Pierogue (espécie de pastel cozinho, recheado com ricota e batata e servido com molho de champignon, bolonhesa, entre outros) ou petisque biscoitinhos saborosos como os preparados pela avós. Se você quiser mesmo almoçar um prato típico, alí pertinho fica o Estrela da Terra, restaurante eleito pela Veja como o melhor barreado da cidade. Uma sobremesa tradicional que acompanha bem qualquer prato é um bom sagu de vinho! Uma delícia!
Próxima parada é o Museu do Oscar Niemeyer, mais conhecido como Museu do Olho. Apreciar a arquitetura do local já é uma diversão, mas passear pelo museu é muito mais interessante. Niemeyer não para de surpreender o visitante a cada espaço do museu que se visita.
Para terminar o dia sugiro um giro pelo Batel, o bairro mais agitado da cidade. Só de passar pela Avenida do Batel já para ter uma noção do agito da cidade. Em um trecho desta rua mais de 8 bares e restaurantes estão dispostos lado a lado para escolha do freguês. É só escolher entre comiga japonesa, crepes, vodka soviéticas, hamburgueres americados, tacos mexicanos ou cervejas ao melhor estilo irlandês.
Quer mais dicas... segue um site ideal para quem quer explorar a cidade como sugere o nome Descubra Curitiba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou? Tem uma história sobre o assunto? Comente aqui: