domingo, 21 de maio de 2017

Cartagena: Planos de viagem


Patrimônio Mundial da Humanidade, Cartagena, na Colômbia, é famosa por seu centro histórico fortificado com 13 quilômetros de muros de pedras construídos a partir do século 16.

Chegada:  Lá os táxis não têm taxímetro, mas do aeroporto até a cidade amuralhada há um preço fixo de 10.000 COP. Para outros lugares, é necessário combinar o valor da corrida com o taxista, mesmo que use aplicativos como EasyTaxi.

Hospedagem: Todos disseram "fiquem na cidade murada" então seguiremos a dica.

Pontos a visitar:
  • A Puerta del Reloj é uma torre de 30 metros de altura com um relógio do século 19 que dá as boas vindas para quem chega à Cidade Amuralhada.
  • Os canhões apontados para o mar são o destaque do Castelo de San Felipe.
  • Las Bóvedas, famosas por seus 47 arcos do período colonial, foram construídas para ser um quartel. Após uma restauração, o local hoje abriga bares e galerias de arte;
  •  Ilhas do rosário
  • A ilha fluvial de Mompos, no rio Magdalena, é um passeio popular para quem visita Cartagena;
  • Plaza de Los Coches, a Alcaldía Mayor (a prefeitura), a Plaza de la Aduana, a Catedral (que estava em reforma) entre muitas outras. O recinto onde funciona Las Bóvedas (Calle Zerrezuela, aberta todos os dias das 8h30 às 18h30) foi construído para ser abrigo militar e para armazenamento de suprimentos. Desde a restauração, entre 1969 e 1972, funciona como principal local de concentração de souvenirs para turistas por metro quadrado da cidade e por esse motivo fervilha durante o dia.
  • A Plaza Bolívar é um oásis sombreado no meio da cidade com bancos e barraquinhas de comida em que as pessoas ficam descansando e passando o tempo.
  • A Plaza de San Pedro é um espaço aberto com várias esculturas em ferro do Museu de Arte Moderna (aberto de segunda à sábado das 7h às 19h. Ingresso adulto 8 mil pesos colombianos). O museu propriamente dito tem entrada paga simbólica, tem obras de diversos artistas latino-americanos e é um local para uma passada rápida.
  • Um lugar interessante é a Plaza de Santo Domingo que tem uma escultura de Botero ao ar livre, chamada de Figura Reclinada nº 92 bem em frente à Igreja de Santo Domingo. A igreja é a mais antiga de Cartagena e só tem uma torre porque nunca foi terminada. Uma curiosidade é que boa parte do chão é recoberta por lápides antigas de famílias proeminentes da região. Há também uma imagem de Nossa Senhora com uma coroa de ouro e esmeraldas.
  • Fora das muralhas, visitamos somente o Castillo de San Filipe (Cra. 17. Aberto todos os dias, das 8h às 18h) que fica a poucos minutos de táxi. Pode-se visitar por conta própria, alugar um audioguia ou contratar um guia de carne e osso. 
  • Islas del Rosario, de um mar límpido e de um inescritível tom de azul.  Fica a cerca de uma hora de barco de Cartagena.A ida é tranquila e dura cerca de 40 minutos em mar protegido e mais uns 20 minutos em águas mais agitadas. O barco sai da Marina Santa Cruz, que fica a uns 10 minutos da cidade murada (ou COP 6.000) e tem capacidade para 41 pessoas.
  •  A Igreja de San Pedro de Claver tem estilo barroco e do lado de fora tem uma escultura de Enrique Grau do próprio San Pedro com um escravo. 
Restaurantes:
Há inúmeros locais para comer que nunca irão aparecer em sites de buscas de tão pequenos, mas todos que experimentamos tinham atendimento caloroso e comida caseira que não varia muito, mas que era saborosa e barata (10-20 mil pesos colombianos para cada um). Experimentamos o refrigerante Postobon que lembra um pouco o Guaraná Jesus cor-de-rosa.

A Gelateria Paradiso é um local imperdível que tem decoração de casa de bonecas, com florzinhas nas paredes, mesas, sofás e motivos naïfs, mas é um ambiente agradável e um refúgio para o calor escaldante que faz na cidade. Eles têm muitos sabores de sorvetes, alguns de frutas da região, outros mais conhecidos.

Por outro lado, há restaurantes estrelados como o Carmen (Calle 38 # 8-19, aberto todos os dias das 7h às 10h30, 12h às 15h e 18h às 22h), dentro do Hotel Ananda, que vale uma visita desde que os bolsos permitam, pois duas entradas, dois pratos principais e uma sobremesa, sem bebida alcoólica custaram 180 mil pesos colombianos.
O que provar:
Nas ruas há de tudo um pouco: vendedores de lanches, frutas, sucos e raspadinhas de gelo para aliviar o calor, além das típicas arepas que lembram um pastel/empanada com recheios diversos. Há também os ‘fritos’ que são uma perdição para o controle de calorias.

Dicas que reuni por aí...

A maneira mais charmosa de conhecer a Cidade Amuralhada, contruída no século 16 pelos espanhois, é em passeios de charrete. À noite, a luz dos lampiões ilumina o trajeto.

Uma curiosidade são os sucos da região como os de lulo, guanábana (a nossa graviola), uchuva (physalis), carambola e muitos outros que são servidos em grandes potes que parecem (e devem ser) vidros de conserva. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou? Tem uma história sobre o assunto? Comente aqui: